Melgaço celebra 30ª edição da Festa do alvarinho e do Fumeiro de 26 a 28 de Abril

Avatar photo


Publicidade

De 26 a 28 de abril, Melgaço celebra a 30ª edição da Festa do Alvarinho e do Fumeiro. O certame reunirá 29 produtores de Alvarinho da Sub-Região de Monção e Melgaço e 16 produtores de produtos locais. A inauguração acontecerá pelas 18 horas do dia 26 de abril, no largo do Mercado Municipal.

Depois do sucesso de 2023, a autarquia volta a apostar numa área específica para provas personalizadas, no interior do recinto, onde os produtores poderão apresentar os seus produtos. Enquanto na última edição a ação era dirigida a profissionais do setor, este ano os produtores poderão realizar provas, que carecem de agendamento, dirigidas ao público em geral. A ação assume-se, fundamentalmente, como uma forma de permitir aos participantes estabelecerem parcerias e negócios.

Com uma área total de 3800m2, o certame apresentará ainda espaços específicos para a restauração, onde quatro restaurantes apresentarão excelentes propostas gastronómicas, e contará ainda com a presença de sete stands de animação turística/institucionais. Juntos, vão dar a conhecer o potencial da região num certame que atrai milhares de visitantes de vários pontos do país, mas também da vizinha Galiza e ainda melgacenses emigrantes.

“Com o passar dos anos, edição após edição, a Festa do Alvarinho e do Fumeiro foi-se fortalecendo e afirmando-se como um evento de referência, um exemplo e um modelo de boa prática a implementar noutras regiões. Temos vindo a inovar, renovando o conceito e espaço, de forma a proporcionarmos, de ano para ano, um evento único e ímpar, que corresponda às expectativas de quem nos visita, mas também dos participantes e, por isso, temos potenciado ações entre os produtores e possíveis clientes, para que estes tenham oportunidade de, durante a festa, estabelecerem parcerias e negócios”, refere o autarca de Melgaço, Manoel Batista.

Durante os três dias do evento será possível assistir a showcookings protagonizados pelos chefes Rui Paula, Hélio Loureiro e David Couñago Freire, que apresentarão propostas gastronómicas harmonizados com alvarinho da sub-região de Monção e Melgaço.

Os visitantes terão também oportunidade de assistir a quatro provas comentadas de vinhos: Valéria Zeferino, da Revista Grandes Escolhas, que se debruçará na temática “Alvarinho à prova do tempo”; a Associação de Produtores de Alvarinho da Sub-Região de Monção e Melgaço – (APA), com o tema “Monção e Melgaço: Um Terroir Único”; Beatriz Machado, da Nieeport, com a temática “Uma Casta. Vários Estilos de Vinho”; e Manuel Malfeito, do Instituto Superior de Agronomia de Lisboa, com o tema “Entender as diferentes expressões do Alvarinho, sem descrever aromas nem dar notas”.

Para além da exposição, prova e venda de produtos, o programa do evento contempla ainda o concurso do Mel, Salpicão, Presunto e Broa de Melgaço, produtos com Indicação Geográfica Protegida (IGP), mas também momentos de animação musical, diurna e noturna, que serão protagonizados por Quim Barreiros, pelo Grupo América, pelo Dj Viktor Soul, pelo grupo Charanga Camisas Negras, por Berto Boss, com o espetáculo Forever 80´s, e por um encontro de grupos folclóricos (Grupo Etnográfico da Casa do Povo de Melgaço, Danças e Cantares Castrejos, Grupo Danças e Cantares de Mazedo e o Rancho Folclórico da Casa do Povo de Tramagal). Haverá, ainda, uma diversidade de atividades paralelas, de animação turística e desportiva e, também, de enoturismo, que permitirão dar a conhecer Melgaço. Programa de atividades disponível em www.festadoalvarinho.pt.

DCIM\100MEDIA\DJI_0538.JPG

O recinto da Festa conta com um total de 52 expositores e uma zona de degustações com capacidade para cerca de 480 pessoas sentadas. Os visitantes poderão adquirir o copo de prova no stand da organização do evento, pelo valor de 3,5€.

29 PRODUTORES DE ALVARINHO

18 de Melgaço: Adega do Sossego, Alvaianas, Anselmo Mendes, Casa de Canhotos, Casa de Midão, Dom Ponciano, Dom Salvador, Dona Paterna, Encostas da Capela, Encosta dos Castelos, Quinta da Pigarra – Encostas de Melgaço, Quintas de Melgaço, Quinta do Louridal – Poema, Quinta do Regueiro, Pequenos Rebentos – Márcio Lopes, Soalheiro, Terras de Real e Valados de Melgaço.

11 de Monção: Alvaminho, Cortinha Velha, Encostas de Sende, Encostas do Mouro, Monsão 1261, Provam, Quinta das Pereirinhas – Foral de Monção, Quinta de Alderiz, Quinta de Setas, Quinta do Mascanho e Terras de Conclave.

16 PRODUTORES DE PRODUTOS LOCAIS / INOVADORES

Aveleira – Fumeiro Tradicional, Crepes Prendokas, Delícias de Alvaredo, Fumeiro das Tias – Sabores de Virtelo, Melgaço em Sabores, O Casal, Produtos de Alvaredo, Prados de Melgaço – Queijaria, Produtos Inovadores (MinhodKa, Artesanali’s, Hidromel de Alvarinho e MonsãoGin), Roscas de Melgaço, Saberes da Tradição, Sabores Castrejos e Sabor do Céu.

4 RESTAURANTES

Miracastro, Miradouro do Castelo, O Brandeiro e Tasquinha Castreja.

7 ENTIDADES DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA / ARTESANATO

Associação Cultural, Recreativa e Desportiva Melgaço Radical; Associação Coraltours Minho; Associação Portuguesa do Cão de Castro Laboreiro; Associação Promotores Turísticos Branda da Aveleira; Escola Superior de Desporto e Lazer; EPRAMI – Escola Superior do Alto Minho Interior; e Montes de Laboreiro/Melgaço WhiteWater.

PROGRAMA

26 DE ABRIL

10H00 – ABERTURA AO PÚBLICO / DEGUSTAÇÃO E VENDA DOS PRODUTOS LOCAIS
11H00 – CONCURSO DO MEL, SALPICÃO, PRESUNTO E BROA DE MELGAÇO
14H30 – ENTREGA DOS PRÉMIOS DO CONCURSO
15H30 – PROVA COMENTADA “ALVARINHO A PROVA DO TEMPO” (VALÉRIA ZEFERINO, Revista Grandes Escolhas)
16H30 – SHOWCOOKING E HARMONIZAÇÃO | CHEFE RUI PAULA
18H00 – ABERTURA OFICIAL
22H30 – ANIMAÇÃO MUSICAL | GRUPO AMÉRICA
00H00 – ANIMAÇÃO MUSICAL | DJ VIKTOR SOUL
04H00 – ENCERRAMENTO

27 DE ABRIL

10H00 – ABERTURA AO PÚBLICO / DEGUSTAÇÃO E VENDA DOS PRODUTOS LOCAIS
11H30 – PROVA COMENTADA “MONÇÃO E MELGAÇO: UM TERROIR ÚNICO” | APA (ASSOCIAÇÃO DE PRODUTORES DE ALVARINHO DA SUB-REGIÃO DE MONÇÃO E MELGAÇO)
15H00 – PROVAS COMENTADA “UMA CASTA. VÁRIOS ESTILOS DE VINHO” | BEATRIZ MACHADO, Niepoort
16H00 – ANIMAÇÃO MUSICAL | CHARANGA CAMISAS NEGRAS
17H30 – SHOWCOOKING E HARMONIZAÇÃO | CHEFE HÉLIO LOUREIRO
18H30 – ANIMAÇÃO MUSICAL | CHARANGA CAMISAS NEGRAS
22H30 – ESPETÁCULO FOREVER 80´S | BERTO BOSS
04H00 – ENCERRAMENTO

28 DE ABRIL

10H00 – ABERTURA AO PÚBLICO / DEGUSTAÇÃO E VENDA DOS PRODUTOS LOCAIS
11H30 – PROVA COMENTADA “ENTENDER AS DIFERENTES EXPRESSÕES DO ALVARINHO, SEM DESCREVER AROMAS NEM DAR NOTAS” | MANUEL MALFEITO, Instituto Superior de Agronomia de Lisboa
15H00 – ANIMAÇÃO MUSICAL | QUIM BARREIROS
16H30 – SHOWCOOKING E HARMONIZAÇÃO | CHEFE DAVID COUÑAGO FREIRE
17H30 – ENCONTRO DE GRUPOS FOLCLÓRICOS (Grupo Etnográfico da Casa do Povo de Melgaço, Danças e Cantares Castrejos, Grupo Danças e Cantares de Mazedo e o Rancho Folclórico da Casa do Povo de Tramagal)
20H00 – ENCERRAMENTO

30 edições, da “Mostra” à “Festa”

A Festa do Alvarinho e do Fumeiro de Melgaço começou, em 1995, por se apresentar como uma mostra de produtos locais para as populações locais. Com o passar dos anos, e como os dados demonstram inequivocamente, tornou-se numa festa reconhecida a nível nacional. Não espanta, portanto, quem em 2009 o Turismo de Portugal tenha reconhecido o seu interesse para o turismo.

Graças a uma promoção adequada ao evento e a algumas parcerias importantes, a FAFM é hoje um evento incontornável das festas gastronómicas do país, atraindo pessoas dos diversos pontos do território nacional e também um grande número de espanhóis, sobretudo da vizinha Galiza.

Não podemos descurar a grande importância deste evento para toda a economia local que, há 30 anos, é impulsionada também através deste evento, sejam os produtores de vinho alvarinho, sejam os do fumeiro que, em 2015, viram este produto ser distinguido pela Comissão Europeia, através da integração do presunto e da chouriça de carne na lista dos produtos com Indicação Geográfica Protegida (IGP), juntando-se assim ao salpicão e à chouriça de sangue. Estes produtos são o resultado do saber-fazer das populações de Melgaço, que conhecem as técnicas de fabrico tradicionalmente utilizadas e que foram transmitidas de geração em geração.

DCIM\100MEDIA\DJI_0534.JPG

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigo Anterior

Melgaço assinala 50º aniversário da Revolução dos Cravos com programa alargado

Artigo Seguinte

Especial Caça: Isabel Carvalhais, Nuno Melo e Álvaro Amaro criticam mundo urbano que, na tentativa de relacionar-se com o mundo rural, “faz uma apologia contra a caça e a agricultura”

Pode também ler

Entre as entidades que apenas cobram o ‘dízimo’ e os ativistas de Facebook, José Carlos Pires diz que “os caçadores são os únicos que cuidam do monte”

“Rio-me quando colegas nossos ou pessoas que vem à montanha e tiram fotografias de um veado, por exemplo, e as redes sociais vem com o discurso de não se colocar ou não dizerem onde estão, senão os caçadores vão lá e matam. É ridículo, porque nós [caçadores] passamos por eles todos os dias e desviamo-nos".
Avatar photo
Ler mais