Comunidades de seis países mostram tradições no Mercado Municipal de Melgaço a 4 de Novembro

Avatar photo
Representantes do Brasil, Venezuela, Ucrânia, Colômbia, Guine Bissau e de S. Tomé e Príncipe levarão para exposição uma mostra de usos, costumes e tradições dos países de origem e apresentarão ainda pratos e doçarias tradicionais, artesanato, ofícios e trabalhos manuais.


Publicidade

No próximo sábado, dia 4 de Novembro, decorrerá em Melgaço um encontro intercultural com e entre a comunidade migrante residente no concelho.

Os participantes, representantes do Brasil, Venezuela, Ucrânia, Colômbia, Guine Bissau e de S. Tomé e Príncipe levarão para exposição uma mostra de usos, costumes e tradições dos países de origem e apresentarão ainda pratos e doçarias tradicionais, artesanato, ofícios e trabalhos manuais.

A ação, a decorrer no Mercado Municipal pelas 11h, acontece no âmbito do projeto AMAM – Rede de Apoio a Migrantes no Alto Minho, promovido pela Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho) e cofinanciado pelo Fundo para o Asilo, a Migração e a Integração (FAMI).

O município de Melgaço é co-beneficiário, por tal, dinamiza algumas atividades, como a sessão informativa que decorreu no passado dia 21 outubro, o Encontro Intercultural que decorre a 4 novembro e o jogo de futsal intercultural, a ter lugar no próximo dia 18 novembro.

O objetivo deste projeto, passa pela promoção de diversas iniciativas que facilitem a inclusão de estrangeiros residentes no Alto Minho, criando também mecanismos que contribuam para melhorar a situação demográfica do território.

Workshops, sessões participativas, fóruns-debate em contexto escolar, oficinas, exposições, programas temáticos de rádio, um documentário e um congresso internacional para a igualdade e interculturalidade são algumas das acções contempladas.

 Algumas das iniciativas previstas no projeto AMAM permitirão capacitar equipas multidisciplinares e multilíngues para intervir na promoção e proteção dos direitos dos migrantes e envolver jovens voluntários na qualidade de tradutores e intérpretes de línguas.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigo Anterior

Roussas também já protocolou nova vida para 284 hectares de floresta

Artigo Seguinte

Comédias do Minho trazem “Felizmente Sãozinha” a Melgaço entre os dias 9 e 12 de Novembro

Pode também ler

“Contrabando de Letras”: José Velo (fundador do DRIL) recordado nos 50 anos da Biblioteca de Melgaço

José Velo Mosquera fundou o DRIL (Diretório Revolucionário Ibérico de Libertação) com um grupo de exilados espanhóis e portugueses. No início de 1961 dirigiu, juntamente com o galego Soutomaior e o português [Henrique] Galvão, o sequestro do transatlântico Santa Maria, uma ação que visava denunciar internacionalmente as duas ditaduras ibéricas.
Avatar photo
Ler mais