Regresso às Aulas 2023: AE Melgaço inicia ano letivo com normalidade apesar de falta “significativa” de professores no 2º e 3º Ciclo

Avatar photo
“Apesar de termos os professores todos colocados, existem alguns atestados médicos porque este ano, tal como tem acontecido em anos anteriores, vieram parar a Melgaço professores que são de muito longe”.


Publicidade

O regresso às aulas em Melgaço começa amanhã, sexta-feira (15 de setembro) com horário cheio e liberdade para os professores gerirem a aula de início de ano letivo, dentro dos moldes de anos anteriores, garante a Diretora do Agrupamento de Escolas de Melgaço, Paula Cerqueira.

“Vamos fazer exatamente como fazíamos nos anos anteriores. O dia escolhido para início da atividade letiva é amanhã (15SET) e às 9 horas toda a gente começa, do Pré-Escolar ao 12º Ano”, indica, em declarações a este jornal.

O Centro Escolar de Pomares receberá, no ano letivo 2023/2024, uma turma de 15 alunos no Pré-Escolar e 20 alunos no 1º Ciclo (mais um potencial aluno em fase de matrícula ou transferência) e inaugura o período de funcionamento alargado, com a receção de alunos a processar-se a partir das 8 horas e a saída a prolongar-se para além do período de aulas, até às 19 horas.

DCIM\100MEDIA\DJI_0385.JPG

Em relação ao período letivo anterior, o centro escolar da zona de montanha do concelho teve um aumento de 9 alunos – que poderá estar relacionado com a aliciante do alargamento do horário – complementa a as dificuldades das estruturas de apoio aos pais e encarregados de educação com horários mais limitados.

“O município, em articulação com a Direção da escola, resolveu que havia necessidade de fazer prolongamento de horário porque, enquanto os daqui de baixo [a frequentar o Centro Escolar da Vila] estão mais servidos porque tem ATL da Santa Casa da Misericórdia, se quiserem, os alunos que frequentam Pomares não estão tão servidos. O município diligenciou no sentido da possibilidade de haver, das 8 às 9h, receber os meninos dos pais que tenham trabalhos a entrar mais cedo e não os possam deixar perto das 9h na escola e depois das 17h30 às 19h, fazer novamente esse prolongamento de horário”.

Paula Cerqueira, Diretora do AEM

A diretora do Agrupamento nota ainda que o alargamento do horário de funcionamento do Centro Escolar de Pomares não significará alteração do horário da componente letiva nem sobrecarga no horário dos funcionários da escola.

“O município diligenciou no sentido de haver funcionários à parte. Para gerir este tempo das 8h as 9h e a partir das 17h30”. De outra forma “seria impossível, porque iria ultrapassar o horário deles”, observou.

Ainda no caso de Pomares, a diretora Paula Cerqueira diz que o alargamento de horário “pode ser atrativo”, assim como os casos em que haja “turmas fechadas na vila”, mas contará para este efetivo o aumento de famílias a residir em Melgaço.

“Melgaço tem recebido famílias que vêm de fora, estrangeiros ou famílias melgacenses que resolvem regressar à terra, isso faz com que nos cresça o número de alunos”, indica. Assim, e para fechar contas relativamente aos alunos, o Centro Escolar da Vila receberá neste ano letivo aproximadamente 181 alunos.

Já no que respeita à colocação de professores, a Diretora do Agrupamento nota que há “algumas falhas, principalmente no início do 2º Ciclo”.

“Apesar de termos os professores todos colocados, existem alguns atestados médicos porque este ano, tal como tem acontecido em anos anteriores, vieram parar a Melgaço professores que são de muito longe. Não podem ficar a residir em Melgaço porque têm família, tem filhos pequenos, alguns deles idosos a cargo. Por outro lado, alguns são de tão longe que, não podendo cá ficar, também não é suportável, mesmo em termos físicos, a viagem casa-escola, escola-casa diariamente”.

Assim, e ainda que até ao dia de amanhã, dia 15, haja colocações, Paula Cerqueira nota que há “falha significativa” de professores no 2º e 3º Ciclo e ligeira falta no Secundário, ultrapassando, até ao dia de hoje, 14 de setembro, os 12 professores em falta.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigo Anterior

Espelho de Água de Castro Laboreiro: Autarquia quer processo “polémico” resolvido até ao final do ano

Artigo Seguinte

Regresso às Aulas 2023: ESDL inicia ano letivo com problema de alojamento estabilizado “pela primeira vez em muitos anos”

Pode também ler

MDOC 2024: 10ª Edição do Festival assinala Revolução em Diferentes Geografias

Trará “Cinema e Revolução” para a mesa de trabalhos abordando temas diversificados e várias geografias (como a Democracia em Vertigem do Brasil; Chile, em busca das imagens dos sonhos; Reflexos e memórias da transição espanhola; as Revoluções nas paisagens...). Será dada particular importância às cinematografias que abordaram o cinema e a revolução em países como Espanha, Brasil, Chile e nos países africanos de expressão de língua portuguesa.
Avatar photo
Ler mais