Dona Paterna: Bombom recheado com gelado de espumante de alvarinho e frutos vermelhos promete ser sensação da Festa do Espumante

Avatar photo


Publicidade

A marca de vinhos DONA PATERNA volta a marcar presença na Festa do Espumante de Melgaço e, como já vem sendo seu apanágio, a apostar numa iguaria gastronómica diferenciada, confeccionada com um dos seus produtos. Desta vez com o Espumante Bruto 100% Alvarinho.

A gulodice surge de uma parceria com Elisangela Castro, do espaço gastronómico Sabor do Céu, que apresenta a criatividade posta no doce: “Teremos um bombom de chocolate, recheado com um gelado cremoso, aromatizado com espumante de alvarinho Dona Paterna e frutos vermelhos“.

Confeccionada de forma artesanal, a proposta gastronómica será apresentada na Festa do Espumante. Os curiosos poderão encontrar a iguaria no stand da produtora – Sabor do Céu, e no espaço físico sito na Rua velha nº135 – Melgaço. No stand DONA PATERNA, os visitantes poderão também apreciar esta iguaria e, ainda, provar os espumantes clássicos: o Bruto 100% Alvarinho e o Rosé.

Nos restantes produtos e no contexto do evento que honra os espumantes da sub-região de Monção e Melgaço, a marca presenteará os visitantes também com outra novidade recentemente lançada: o pét-nat PET-ERNA.

“Nesta edição queremos dar a conhecer o nosso mais recente produto o pét-nat Pet-erna. É ousado e saboroso. Um vinho para abrir novos horizontes”, garante o produtor da Dona Paterna, Carlos Codesso.

Elaborado a partir de uvas 100% alvarinho e de forma ancestral, o Pet-erna já conquistou os amantes do vinho. Trata-se de um vinho espumante natural produzido pela Dona Paterna, na sub-região de Monção e Melgaço.

Designado como pét-nat (abreviatura de Péttilant Naturel), este néctar sofre a menor intervenção possível, sem qualquer tipo de adições, sendo o processo de fermentação conduzido de forma natural, como nos primórdios da criação do espumante.

Ao contrário do espumante tradicional, o pét-nat não tem adição de sulfitos e de conservantes, assim como não passa pelo processo de filtragem, do dégorgement ou adição de açúcar. Termina a fermentação na garrafa, vedada com cápsula metálica, cujo método exige uma enorme precisão do produtor.

Com um teor alcoólico de 12%, o Pet-erna, pelo seu sedimento natural, apresenta-se mais turvo do que o espumante e com sabores mais complexos. Pode ser apreciado sozinho ou com assados e grelhados.

Dirigida ao público em geral, mas também aos profissionais ligados ao mundo dos vinhos, à hotelaria e restauração, a jornalistas e críticos, a Festa do Espumante de Melgaço (de 24 a 26 de Novembro) assume-se como um momento de convívio entre os produtores e os apreciadores de espumante, mas, também, um evento promotor de negócios.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigo Anterior

Em Melgaço até o Pai Natal é Radical e desce o rio para entregar presentes

Artigo Seguinte

Centro de Saúde do Monção: Autarcas em ação contra encerramento de Urgência aos fins de semana

Pode também ler

Eurodeputado visitou Sub-Região de Monção e Melgaço e ataca burocracia

“Uma burocracia que existe em termos das exportações e em pequenas coisas que nós nem vemos. Um exemplo simples: a certificação de uma balança. A Câmara de Melgaço certifica as balanças mais pequenas. A seguir, a partir de determinado peso, é a Câmara de Valença e, depois, ainda há um instituto nacional que faz a certificação de outros. Três entidades diferentes, quando uma única poderia fazer tudo”.
Avatar photo
Ler mais