O melhor ‘casamento’ entre Norte e Centro: RCVA reafirmou geminação com Confraria dos Ovos Moles de Aveiro

Avatar photo
“Foi um evento muito especial e de excelente convívio confrádico entre as 20 confrarias participantes com uma ótima anfitriã. Agradecemos aos produtores de Monção e Melgaço que apoiaram a nossa participação com os seus espumantes, permitindo um momento único de harmonização com os ovos moles de Aveiro”


Publicidade

No último fim-de-semana de Setembro, uma comitiva da Real Confraria do Vinho Alvarinho deslocou-se a Aveiro para participar no XII Capítulo da Confraria dos Ovos Moles e reafirmar a geminação que tinha sido assinada no dia 3 de Março, em Monção, aquando da cerimónia capitular da confraria que representa o ex-libris da sub-região.

Na sexta feira, dia da chegada, os elementos da RCVA foram recebidos com um passeio de moliceiro pela ria de Aveiro e um jantar no restaurante parceiro da Confraria do Bacalhau de Ílhavo.

O Presidente da Câmara Municipal de Monção, António Barbosa, juntou-se à comitiva no sábado, dia 23, em representação do território do Alvarinho de Monção e Melgaço. Juntamente com o Presidente da Câmara Municipal de Aveiro, José Ribau Esteves e o vice-presidente da Federação das Confrarias Gastronomias, Sérgio Ribau Esteves, destacaram o importante papel que as confrarias representam na preservação dos produtos autóctones, dos usos e costumes e das tradições ancestrais.

“Elas representam a portugalidade que, infelizmente, começa a perder-se”.

Esta geminação centra-se na promoção conjunta de dois produtos estrela, certificados, e que se constituem distintivos dos territórios que representam e “motores” do seu desenvolvimento económico e turístico.

Foi um evento muito especial e de excelente convívio confrádico entre as 20 confrarias participantes com uma ótima anfitriã. Agradecemos aos produtores de Monção e Melgaço que apoiaram a nossa participação com os seus espumantes, permitindo um momento único de harmonização com os ovos moles de Aveiro”, notou a RCVA, congratulando as marcas da sub-região de Monção e Melgaço que se associaram, nomeadamente:

Encosta da Capela, Quintas de Melgaço, PROVAM, Alvaianas, Quinta de Alderiz, Soalheiro, By Élio Lara, Valados de Melgaco, Cortinha Velha, Reguengo de Melgaço, Adega Cooperativa de Monção; e ainda à Câmara Municipal de Melgaço pela oferta de cabazes de produtos locais entregues ao Presidente da Câmara Municipal de Aveiro e ao Grão Mestre da Confraria dos Ovos Moles de Aveiro, Carlos Ferreira.

Ao Presidente da Câmara Municipal de Monção, pela deslocação a Aveiro para acompanhar e participar com a RCVA os atos protocolares, “e que tão bem representou o território”.

Aos confrades Vítor Cardadeiro, Isabel Domingues, Catarina Barbosa, Manuel Augusto Castro, Agostinho Alves, Paulo Sousa, Leonardo Ferreira, Alfredo Rio e Rita Vieira de Castro pelo empenho na representação da RCVA.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigo Anterior

João Gigante: ‘O fotógrafo’ que ansiava imiscuir-se na comunidade é hoje o melhor a fazer a radiografia às pessoas e à paisagem de Melgaço

Artigo Seguinte

“ESGOTADO”! 3ª Rota das Adegas encerra inscrições 15 dias antes do prazo

Pode também ler

Bruno Pereira lança single com ‘garantia de qualidade’ do estúdio de Pedro Abrunhosa

"Esta música nasce de uma parceria muito especial. Quando surgiu a pandemia, tal como qualquer outra pessoa, vi-me obrigado a ficar em casa. Decidi fazer uma espécie de anúncio nas redes sociais em que estava à procura de poetas, porque queria conhecer pessoas do outro lado que pudessem escrever (...) A Joana Malheiro enviou-me uma mensagem, um bocado a medo, a perguntar o que é que eu estava à procura, se eu queria um texto sobre um tema específico, e na altura, disse-lhe, ‘olha, se quiseres escrever, escreve ao teu gosto, sobre o que tu quiseres, és completamente à vontade’. No dia a seguir enviou um poema. Foi bem rápido”...
Avatar photo
Ler mais

Espelho de Água de Castro Laboreiro: Autarquia quer processo “polémico” resolvido até ao final do ano

“O turismo que chega a Castro Laboreiro exige esta ligação à agua, era uma vontade grande dos operadores, dos turistas e da população, portanto vai ser terminada. Com a serenidade necessária, depois destas questões mediáticas, com as entidades e com articulação estreita com a tutela, as coisas a seu tempo serão terminadas e resolvidas”.
Avatar photo
Ler mais